domingo, 19 de junho de 2011

Manifesto do movimento buchudista

A jornalista Márcia Carvalho iniciou esse movimento tão antigo.

Tornei-me seguidor por descuido, inspiração e desejo.

 

Nós do movimento buchudista acreditamos que os inícios sempre cheiram a talco e colônia. Os primeiros buchudistas sempre nascem junto com a espécie e assumem o compromisso inadiável de povoar a terra e se prolongar sobre ela. Apostamos que todo chão é fértil e que as sementes sugerem o próprio arremesso.

Nossa missão primordial é tornar o choro a força dos pulmões; o sono entrecortado um argumento para a paz; a sucção um aprendizado de doação e partilha; o banho um ritual de purificação; o leite a metáfora mais completa do alimento.

Apesar das forças em contrário, apesar do trânsito, apesar da violência, apesar de insistirem que somos sobreviventes, apesar do ataque a quem tem uma utopia como quem alimenta uma inutilidade, nós acreditamos na vida, sobretudo nessas que estão crescendo dentro de nossas barrigas e corações, e que adivinhamos nas ultrassonografias que serão as pequenas guardiães de todo o nosso amor. WDC

Um comentário:

J.Mattos disse...

Parágrafo útero

Cabe nessa casa o abrigo de toda a entrega. Em cujo pulsar vai também arraigado nossa adoração pela vida nos olhos, olhos que em breve descobrirão o mundo. Esse tranquilo que é o úmido da cápsula, manjedoura fêmea e exclusiva que recebe, acolhe, nutre e abre esplêndida, flor entrincheirada e protetora. Flor de corola múltipla. Começo e fim de nosso amor.

J.Mattos