terça-feira, 8 de março de 2011

Oito de Março

Por elas vamos ao puteiro e construímos catedrais. Por elas nos metemos em DR’s e litanias. Por elas acreditamos piamente em nossas imposturas. Por elas vamos a batizados de sobrinhos distantes. Por elas caímos nas mãos de agiotas e pastores. Por elas fingimos gostar de parentes insuportáveis. Por elas sentamos intermináveis horas em bancos de shoppings. Por elas aprendemos a cozinhar e falar de filme iraniano. Por elas aprendemos a diferença entre fúcsia e rosa. Por elas pedimos, sem constrangimento, o último filme da Barbie ao balconista da locadora. Por elas entramos na academia de jiu-jítsu e decoramos nomes de flores. Por elas escrevemos e somos escritos por elas. Por elas acreditamos que o cinismo não é a melhor forma de encarar o mundo. Com elas o mundo se torna mais suportável. Algumas delas fazem o mundo até parecer belo. Outras fazem a gente querer estar nesse mundo só enquanto elas também estejam. WDC

Um comentário:

Andrezza Fonseca disse...

Que bonitinho! E o meu amigo Neto, não escreveu nada???