quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

Notas Esparsas sobre o Oscar (III)

Bravura Indômita (True Grit)

Devo iniciar informando que sou fã dos irmãos Coen desde o Grande Lebowski (talvez antes). Ou seja, comecei pelas suas comédias. Informo também que não assisti a primeira adaptação do livro de Charles Portis, e tampouco li o romance. Ou seja, esse é o meu primeiro contato com o western da menina que, obcecada pela ideia de vingar a morte do pai, contrata um caçador de recompensas (vivido por Jeff Bridges) para encontrar o assassino antes do texas ranger Lebouf (Matt Damon).

A direção dos Coen é sempre sutil, quase contida. O filme nunca vira uma comédia e nem um drama. Eles poderiam explorar o potencial cômico de Cogburn/Bridges, mas não o fazem. Assim como poderiam explorar a relação de Cogburn com a menina Mattie Ross (Hailee Steinfeld) fazendo a plateia chorar com a inevitável separação, mas não o fazem. Os irmãos não se entregam às expectativas. Essa pode ser a maior qualidade deles, mas também o maior obstáculo para que ganhem um prêmio como o Oscar.

Eu gostei do filme, porém, como todo mundo, esperava ficar com a barriga dolorida de tanto rir ou com o coração agradecido de tanto chorar. WDC

2 comentários:

J.Mattos disse...

Pois é... Na versão em que John Wayne atua, a qual foi dirigida por Henry Hathaway (que anteriormente dirigiu junto com John Ford o sensacional "A conquista do oeste"), não há contenção e o final é um tanto mais, digamos, vivo que o dos irmãos Coen.
Apesar disso, sim, um ótimo filme e o Jeff Bridges está sensacional no papel.
Agora, para mim, o destaque do filme é a deslumbrante Hailee Steinfeld. Linda e excelente atriz.

J.Mattos

Anônimo disse...

Tenho até medo de comentar filme dos Irmãos Cohen - a ultima vez que eu comentei foi sobre ONDE OS FRACOS NAO TEM VEZ (é esse nome mesmo? como não gostei, nem lembro direito do título)..
Mas vamos lá: a história, o roteiro, muito bons, mas não é filme pra concorrer ao Oscar, né gente? O que achei mais interessante foi a pequena Mattie, com sua coragem e determinação tão incomuns (hoje e na época)para uma garota de apenas 14 anos. Ela é apaixonante. Já o Jeff, que horror, que voz é aquela, nem dá pra entender o que ele fala, mas..Matt Damon, quem diria, fez muitissimo bem o Lebouf, sem afetação, na medida certa - alias o personagem que achei mais parecido com o estilo Cohen de fazer cinema.
Precisa dizer porque?

Sara Giusti