domingo, 20 de fevereiro de 2011

Notas esparsas sobre o Oscar (I)

 

Nunca dei a mínima para a premiação da indústria cinematográfica norte-americana, justamente por estar voltada muito mais para a indústria que para o cinema. Amiúde interessava-me muito mais o ganhador do prêmio de melhor filme estrangeiro, esses sim, produções voltadas muito mais pro cérebro que pro bolso dos seus expectadores.

Esse ano resolvi fazer uma exceção e estou assistindo todos os filmes concorrentes da premiação principal. Vamos aos filmes e às minhas pequenas considerações.

Cisne Negro (Black Swan)

De longe o melhor filme deste ano, o Cisne Negro mostra os dramas que percorrem a montagem do Lago dos Cisnes por uma companhia de balé. A bailarina que faz os dois cisnes, o branco e o negro, é vivida por Natalie Portman em atuação magistral. O conflito da mocinha perfeita que precisa encontrar seu lado obscuro revela a intenção do diretor Darren Aronofsky discutir a busca obsessiva da perfeição na arte, o interessante é que no Cisne Negro o perfeito reside justamente no erro e na loucura. O filme é recheado de cenas angustiantes, me lembrou Kubrick.

3 comentários:

Anônimo disse...

Eu assisti Black Swan graças ao Wagner, ou então teria que esperar uns 3 meses..
O filme tem um roteiro e uma direção muito boas, sem uma linearidade obvia, mas sutil a cada cena. Ja gostava de Natalie desde "V", agora ela está no mesmo patamar que Meryl Streep, sem exageros - ela é o personagem.
Ainda não vi os outros filmes, mas acredito que o Oscar de atriz deva ser dela..

Sara Giusti

Anônimo disse...

sim, esqueci: esse filme é extremamente freudiano.Vejam e saberão do que estou falando.

Sara Giusti

J.Mattos disse...

Natalie Portman absurda no papel. O filme e sensacional.
Concordo em todos os as pectos com tua "revista".
Assiste logo bravura indomita que eu quero opinioes e aproveita p ver o original c o John Wayne. Acho que foi um caso identico ao psicose do Gus van Sant. Nao acrescentou em nada.

JMattos