segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

Te quero

p/ Edna

Te quero mesmo com teu anjo às costas me pedindo auxílio na tua proteção. Mesmo com teus destinos tão precisos quanto o das nuvens no céu. Te quero com teus queijos e rezas. Mesmo que a maré não suba e o rio te despreze com arraias e peixinhos espinhosos, mesmo que os teus passos na areia ao lado da minha quietude ensolarada não inventem danças até o entardecer. Te quero mesmo dispersa antes do café, mesmo estabanada no almoço, mesmo dormindo antes da minha chegada. Te quero mesmo com os papéis que dizem vagamente do nosso futuro. Mesmo com a tua exatidão e com a tua mania de transcender a tudo. Te quero com essas coisas que me enervam: a predisposição para o perdão, a palavra macia nos dias de trabalho e solidão, a superproteção, a lágrima que desmancha os dois. Mas o que mais me exaspera é querer acreditar que estes são os entretantos, sendo eles os motivos.WDC

2 comentários:

Edna disse...

Ouço, leio, vejo e sinto em segundos, raros: tudo que em mim sedimenta. Esse tudo denso e eterno. Amor. Acolho e admiro sempre mais o que vem de ti. O mais simples e profundo de ti. Lágrimas... comuns, latentes... bem sabes.

J.Mattos disse...

Eu que ajudei a oficializar essa união. Que mesmo atrasado cheguei a tempo de os ver sorrindo e se entregando à realidade que é um de meus maiores exemplos de abdicação e entrega, queria apenas registrar meu amor por vocês e celebrar junto, a conquista de tantos gestos de amor.

Do padrinho orgulhoso,

J.Mattos