quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

Comemoração

Ela chega. A um minuto do fim diz as coisas mais horrendas: vou sair para ver o sol, tua vergonha me cansa. Inusitadamente um beijo apaixonado. Depois o vaso estilhaçado sobre a cabeça dele. Desculpe, não sei me controlar muito bem. Tudo bem eu entendo, foi o que ele disse. Ela se foi. Voltou meia hora depois gritando coisas incompreensíveis. Outro beijo apaixonado. Um soco que o deixou atordoado. Em vinte minutos vou sair da tua vida para sempre, esquartejá-la. Vou te deixar mais raso que o pátio chão. Já estou lá baby, ele disse limpando o sangue. Seu imprestável. Ai foi a vez dele. Pulou em sua direção e quando estava pronto para destroçar-lhe o rosto, disse com a voz mais terna que podia: hoje fazemos quatro meses, não devíamos estar comerando? J.M.N

Um comentário:

Melissa Narano disse...

Nossa, me deu a impressão de é uma coisa sem escapatória. Sentimentos extremados.

Mel.