domingo, 21 de fevereiro de 2010

Perguntas de Ontem IX

Ela te esperava ouvir. Vinha de longos dias essa vontade. Ela te pode matar ou fazer viver entre seus dedos, entre seus suspiros. Não quero ouvir seus suspiros, são como pedaços se desprendendo para nunca mais. Então fique com seu odor, sua voz enraizada naquele ano. Fique com o cio que lhe era servido no mero toque de braços. Mas eu liguei, sabendo que assim ela queria. Não ouvi mais do que sua voz desperta e longínqua. Então agora que todos sabem, espera. Espera que algo virá dos lados de lá. E se não vier? É claro que virá, nem que seja a pergunta que tanto temes que ela faça e que, talvez, queiras tu mesmo fazer a ela. Então eu espero e o faço da maneira que apenas sei fazer agora... em silêncio. J.M.N.

Pergunta de ontem: o que queres dizer com teu silêncio?

4 comentários:

Anônimo disse...

Um apelo, destes derradeiros que só sentenciados de morte fazem ouvir. É o meu silêncio. A fronteira inequívoca das palavras desperdiçadas em piadas, telefonemas e poesia. Quando silencio, podem me acodir.WDC

Anônimo disse...

o que os gritos já não sabem mais como dizer...

Bianca Feijó disse...

Silencio muitas vezes falam mais que a própria palavra...

Obrigada pela visita, pelas palavras escritas.

De muito bom gosto sua casa! ;)

B.E.I.J.O.S

J.Mattos disse...

Cara Bianca,

Lisongeados com sua visita.
Gratos pelas palavras.
Esperamos que as visitas sejam constantes. As nossas serão.

Ats,

J.Mattos